© 2013 by Miho Mihov

  • Facebook Vintage Stamp
  • Google+ Vintage Stamp
  • YouTube Vintage Stamp

Entrevista sobre terapia tântrica para os estudantes da UNA

November 8, 2016

 

1) Conte-nos de forma detalhada como é feita a massagem tântrica

 

Quando se fala de massagem tântrica é necessário, primeiramente, esclarecer, qual é a fundamentação da metodologia aplicada. A maioria dos métodos chamados de massagem tântrica não tem nenhuma fundamentação no Tantra. O que hoje em dia é mais comumente chamado de massagem tântrica são as massagens genitais (Lingam e Yoni). Lingam e Yoni são palavras sânscritas que se referem, respectivamente, aos genitais masculino e feminino. Elas nos denotam a visão positiva com a qual as tradições tântricas olhavam para os genitais: Lingam significa bastão de luz e Yoni, portal da vida. Acontece que, até onde eu sei, os métodos de massagem focados no genital, atualmente chamados de massagem tântrica, não têm sua base no Tantra e sim no Sexologycal Bodywork, trabalho de sexologia e educação sexual somática desenvolvida por Joshep Kramer. Joshep era estudante de Taoismo e não de Tantra e, sendo homossexual, artista e morando na Califórnia nos anos 60, no pico da revolução sexual, conta-se que ele viu muitos de seus amigos morrendo de AIDS. Foi então que, baseado nos seus conhecimentos do Taoismo, que assim como o Tantra, reconhece a energia sexual como parte fundamental da energia vital, ele desenvolveu métodos de massagem para que as pessoas pudessem ter plena satisfação sexual sem necessitarem da penetração. Como esse foi um período de grande acesso aos mestres e ensinamentos do oriente no ocidente e o Tantra já era, desde então, algo extremamente exótico e que despertava muita curiosidade, posteriormente, os métodos de massagem genital acabaram sendo associados ao Tantra e começaram a ser chamados de massagem tântrica. O fato é que, apesar das tradições tântricas terem uma visão desrepressora sobre a sexualidade e o corpo e que, de fato, muitas delas incorporavam práticas sexuais em seu corpo de práticas espirituais, não há o registro de nenhuma técnica de massagem genital nas escrituras tântricas.

Atualmente, já existem várias evidências que comprovam que os métodos de massagem desenvolvidos por Joshep e por outras pessoas que estão atuando no trabalho com a sexualidade, tem excelentes efeitos terapêuticos, ajudando muitas pessoas a descobrirem mais sobre sua capacidade orgásmica. Acontece que, hoje em dia, muitas pessoas oferecem a massagem tântrica sem ter nenhum conhecimento sobre o Tantra e nenhuma base nos ensinamentos e práticas fundamentais do Taoismo, que basearam o trabalho do Joshep, e os quais tem muitas semelhanças com as tradições tântricas. Na minha perspectiva, isso compromete tremendamente os efeitos dessas massagens.

 

Na metodologia que nós aplicamos, nós utilizamos metodologias espirituais que são fundamentais ao Tantra, como o Puja, ou o respeito àqueles que nos transmitiram os ensinamentos, aos nossos ancestrais e, especialmente, à inteligência da vida em si. Isso nos faz cultivar uma atitude de abertura e gratidão à sabedoria da vida, o que é fundamental para o estabelecimento da cura e do senso de satisfação pessoal. Outras metodologias do Tantra que utilizamos são as práticas de respiração, fundamental no desbloqueio energético e emocional; meditações contemplativas e a prática de auto-investigação, essenciais para o acesso à transcendência. Juntamente com essas metodologias do Tantra, utilizamos práticas de expressão corporal e vocal e a massagem dos 5 elementos. Nessa massagem, nós utilizamos 5 tipos de toque que vão despertar qualidades específicas, que remetem aos 5 elementos os quais, segundo a visão de mundo do Tantra, compõem a materialidade. São eles: terra, água, fogo, ar e espaço. No toque do elemento terra, nós utilizamos toques mais firmes e profundos, que tiram tensões musculares e relaxam o corpo. No elemento água, utilizamos um toque mais suave, deslizante e contínuo que traz para o corpo a sensação de fluidez, acolhimento e afetividade. No elemento fogo, centramos na área genital, despertando uma percepção mais ampla dessa região. Na nossa abordagem, o foque da massagem genital não é levar a pessoa a um orgasmo, mas, sim trazer consciência para essa região, descondicioná-la dos toques repetitivos e mecânicos que normalmente realizamos aí e, sobretudo, trazer para essa região a energia da aceitação e do cuidado, uma vez que tantos dos nossos traumas e bloqueios passam por aí. No elemento ar, fazemos um toque muito sutil, com as pontas dos dedos, também em todo o corpo. Esse toque tem a capacidade de despertar a bio-eletricidade do corpo, trazendo espasmos e vibrações que, à semelhança dos espasmos que experimentamos quando somos tomados por um delicioso orgasmo, despertam a sensibilidade da pele e conectam toda a cadeia muscular à sensação prazerosa da vibração orgásmica. No elemento espaço fazemos um toque energético em cada um dos sete principais centros energéticos do corpo, chamados de chackras no Tantra, entoando as sílabas mântricas que ativam esses centros.

Em cada sessão temos uma conversa prévia com a pessoa que está recebendo o processo e decidimos quais os procedimentos e tipos de toque realizaremos. Não há um mesmo padrão para todas as pessoas.

 

2) Qual a fundamentação médica por trás da massagem tântrica?

 

Eu desconheço estudos de básica científica sobre a massagem tântrica. Porém, podemos dizer que os fundamentos da massagem tântrica encontram bastante ressonância com os fundamentos das terapias bio-energéticas de Alexander Lowen e, mais especificamente, com as teorias médicas e científicas de Wilhelm Reich que realizou um extenso trabalho sobre a função do orgasmo. Detalhando um pouco mais sobre isso, na terapia Reichiana, há o reconhecimento de um princípio vital que é o que anima o nosso corpo e cujo fluxo garante saúde mental e física. Uma vez que o nosso corpo é formado a partir da energia sexual, a sexualidade é a base da nossa energia vital. Para Reich uma sexualidade reprimida ou não-satisfatória é a causa de todas as neuroses e psicoses.

“As neuroses e psicoses funcionais são sustentadas por uma energia sexual excessiva e inadequadamente descarregada, inicialmente chamada de “energia psíquica”[...]. As enfermidades psíquicas estavam, sem dúvidas, enraizadas “no corpo”. Por isso, havia boas razões para presumir que as proliferações psíquicas eram alimentadas por uma estase de energia. Somente a eliminação dessa fonte de energia da neurose pelo estabelecimento da plena capacidade orgástica parecia tornar o paciente imune a uma recaída […] Era incontestável a premissa: “com uma sexualidade satisfatória não existem perturbações neuróticas”” (REICH, 1942, “A função do orgasmo”)

 

Na terapia bio-energética e reichiana o restabelecimento do fluxo da energia vital é feito, sobretudo, por práticas corporais que vão aumentar a capacidade vibracional do corpo, desbloqueando as couraças musculares que são onde os bloqueios da energia vital se somatizam. De maneira semelhante, na visão do Tantra, essa energia vital, chamada kundalini, é a própria inteligência da vida atuando em nosso corpo. Nós a bloqueamos por medos instintivos e condicionamentos sociais e culturais que estão em desacordo com os princípios da vitalidade e é pelo corpo que reconhecemos e desatamos os nós desses condicionamentos. Em diversas tradições e terapias o toque sempre foi reconhecido como uma maneira efetiva de desbloqueio físico e energético. Atualmente, por exemplo, a própria ciência médica já começa a reconhecer os benefícios do toque e de terapias energéticas como a acunpuntura. Porém, como as metodologias daquilo que é chamado de terapia tântrica são muitos diversas, é difícil realizar um estudo mais profundo sobre os seus benefícios e efeitos.

 

3) Qual a fundamentação espiritual por trás da massagem tântrica?

 

Voltamos ao que já foi falado, muito do que hoje é conhecido como massagem tântrica não tem nenhuma fundamentação espiritual, pois, não está baseado nem no Tantra e nem em nenhuma outra tradição espiritual fidedigna. Muitos desses métodos acabam sendo apenas uma maneira da pessoa alcançar um orgasmo ou se restringem a uma massagem erótica que visa o prazer.

Bom, para entender um pouco mais sobre a importância do trabalho com a sexualidade do ponto de vista do Tantra é fundamental citarmos a perspectiva não-dual nas quais muitas tradições tântricas se baseiam. Essa é a perspectiva de que tudo é sagrado, tudo é uma manifestação divina e, esse corpo não é nada menos do que uma criação divina para que a força criativa da existência possa se expandir e experimentar a si mesma em uma variedade de formas e atributos. Esse corpo é divino e um instrumento divino para a totalidade experimentar a si mesma como matéria. No Tantra transcendência e imanência são aspectos de uma mesma totalidade. Essa é uma perspectiva radical, na qual aceita-se tudo, absolutamente tudo, como divino. Partindo dessa perspectiva, muitas das tradições tântricas exploraram aqueles temas que eram considerados tabus na sociedade. No contexto no qual o Tantra surgiu, a cultura védica indiana, os tabus vigentes eram: o sexo, a morte, a impureza e as regras e regulações sociais. Como o objetivo das tradições tântricas era criar métodos para a liberação (TAN = expansão ou liberação e TRA = método ou dispositivo ), para elas é essencial nos libertarmos desses tabus para alcançarmos uma visão de equanimidade/não rejeição de nada que existe, percebendo toda a existência como divina. Em uma linguagem mais religiosa, realizar que tudo é Deus. Portanto, as práticas tântricas incorporam esses tabus como práticas espirituais para que eles sejam, gradualmente, absorvidos pela luz da consciência. É literalmente uma ciência da libertação. Porém, é fundamental perceber que as práticas sexuais do Tantra não tinham como objetivo maximizar o prazer e, sim integrar a sexualidade naquilo que consideramos sagrado e divino.   

 

4) Qual é a cena atual e/ou contemporânea da massagem tântrica?

 

Acho que eu já falei um pouco sobre isso nas respostas anteriores. Na minha perspectiva, muito do que tem sido feito atualmente no nome do Tantra não tem nada haver com o Tantra e não tem nenhum embasamento nas tradições espirituais ou mesmo nos métodos terapêuticos ocidentais que possuem um fundamentação teórica e prática no trabalho com a sexualidade humana. Ao mesmo tempo, existem pessoas muito sérias e comprometidas que têm feito um trabalho maravilhoso tanto no estudo do Tantra e na tradução dos seus ensinamentos para o contexto ocidental moderno; quanto no estudo da sexualidade humana e maneiras de vivermos uma sexualidade mais plena que nos conecte verdadeiramente com a fonte da nossa vitalidade. O desenvolvimento da capacidade orgásmica ao qual Wilhelm Reich tanto se referia não é apenas o aumento da sua capacidade de gozar e ter orgasmos, mas, sim da capacidade de desfrutar da vida e de estar em harmonia com a sua força criativa e instintiva. Para o Tantra, essa capacidade está diretamente associada à capacidade de nos sentirmos conectados ao Todo, nos reconhecermos como partes intrínsecas da existência, ou, melhor ainda, nos reconhecermos como a própria existência a se desabrochar. É desse reconhecimento que nasce a verdadeira cura e a plena satisfação. Eu não acredito que apenas uma técnica de massagem genital, ou mesmo que inclua outras partes do corpo, que não esteja fundamentada em uma visão de mundo e práticas coerentes com o propósito do reconhecimento da totalidade que somos, pode ser realmente satisfatória.

 

 

5) Como o comércio influencia na prática e na cultura da massagem tântrica?

 

Nós vivemos em uma sociedade com uma imensa e doentia fixação sexual. Eu digo fixação porque não se trata apenas de um contexto de repressão sexual a qual está ligada aos valores religiosos e às normas sociais castradoras da nossa sociedade. Mas, se trata também de um abuso e expressão inconsciente da energia sexual, da banalização do sexo, o que está tão ligado à transformação do sexo em objeto de consumo pelo sistema capitalista e o que, por sua vez, acaba por reforçar a visão do sexo como algo sujo e pernicioso. Eu vejo que uma das grandes contribuições que a terapia tântrica tem oferecido à nossa sociedade é a perspectiva de que o sexo é algo sagrado, é a fonte da nossa energia vital. Porém, mais uma vez, quando não há por parte do terapeuta um enraizamento ou uma maior compreensão e vivência dos princípios fundamentais que baseiam o Tantra ou mesmo as terapias sexuais sã, é muito fácil ele se perder de um propósito mais amplo e acabar por transformar o seu trabalho em mais uma forma de ganhar dinheiro através do sexo. Na perspectiva de muitos dos professores de Tantra com os quais eu estudei, antes do praticante de Tantra lidar com a energia sexual manifesta, ou seja, com o contato sexual que levará ao estímulo sexual de qualquer natureza, era necessário um bom treinamento em práticas contemplativas como a meditação e a circulação interna da energia sexual. Isso assegura o equilíbrio entre as forças ativas e passivas entre a excitação e o relaxamento, o qual é fundamental para todos os aspectos da vida.

Na nossa sociedade o sexo é algo altamente vendável, ele é uma das válvulas de escape mais poderosas para muitas pessoas que não sabem como lidar com seus instintos, com a sua vitalidade e com as suas neuroses. O comércio faz um ótimo uso disso. Sendo o Tantra algo muito exótico e mal compreendido, facilmente vira objeto de curiosidade para muitos, e facilmente pode-se vender qualquer tipo de massagem genital como sendo massagem tântrica. Isso é triste, mas, faz parte da realidade que convivemos e co-criamos.

Desejamos de todo o nosso coração e com as bênçãos dos nossos mestres que essas palavras aqui possam ajudar a trazer um pouco mais de clareza sobre o Tantra e os propósitos da terapia tântrica.

Gratidão!

Please reload

Featured Posts

O que é a Terapia Tântrica

May 31, 2019

1/6
Please reload

Recent Posts

February 8, 2018

Please reload

Archive
Follow Us
Please reload